terça-feira, 27 de janeiro de 2009

Soneto para Obama

Ei, Mister Barack,
Não se esqueça que um dia
O senhor já morou em barraco
E em teus lombos, na labuta, o sol ardia

Pois é, senhor Hussein,
Entenda sua responsabilidade
De não só fazer o que lhe convém
Para que o peso da mesmice nos não enfade

Então, Obama,
Não esqueça que teu povo é de gana
E não troca suas fortes raízes

Pelos podres frutos de um jardim alheio
Que há tempos e desmedidamente
Inclina à morte sem receio.

4 comentários:

Márcio Calixto disse...

Viu? Tá pegando o ritmo, esse é um outro tipo de texto, um outro padrão, tá conseguindo, meu querido...

Cerestino disse...

brigado pela ajuda, mestre.

°°mila°° disse...

Decerto fugiu bastante do que comumente vc escreve.

Abraço.

Márcio Calixto disse...

Lembrei de um detalhe:

I got a crush on Obama", lembram disso? Procura no Youentubo.

Comentário Rápido