sábado, 9 de maio de 2009

chiqueiro nacional


Aproximadamente uma da tarde. Medindo meu prato de comida pelo já referido motivo, tenho o cuidado de não pegar os pedaços de linguiça no macarrão. Não posso ingerir carne de porco devido a um tratamento médico. Frito o bife, sento a comer, ouvindo um noticiário no rádio. E eis que ouço pela primeira vez o que seria o mais novo mantra das comunicações jornalísticas: Gripe Suína!

Casos no México, EUA... A Europa, depois da peste negra, talvez se veja diante da peste rosada. E no Brasil também apareceram os casos. E o alarde é palpável. O rosto dos âncoras nos jornais de todo país é deprimente, envolvente, apocalíptico. Técnicas de proteção, máscaras de hospital, máscaras "bico de pato". Até remédio já foi criado. Não sei como ainda não apareceu uma ONG do tipo Todos Contra a Suína (para a felicidade dos corintianos)

E o fato é que, comparado com outras doenças, que realmente foram devastadoras, essa gripe suína é nada. O Apocalipse quase foi antecipado por causa de um catarro de porco mexicano. Palavra de especialistas que, essa gripe mata, não porque seja um tipo especial e destrutivo de gripe, mas porque é uma gripe. Quem morre por causa dela é porque já estava debilitado, e com a gripe, seu quadro foi agravado. Palavra de especialistas.

Mas o fato que quero chamar atenção não tem nada a ver com porcos, catarro nem burritos... E os cartões corporativos, pararam? E as passagens de avião para os políticos? E a mansão do senhor Edmar Moreira? Enfim, percebem? Sempre que aparece um escândalo político, quando se acendem as luzes no quarto escuro de Brasília e se mostram as baratas, morcegos e vermes escondidos [nem tanto ...] rápido rápido aparece um João Hélio sendo arrastado... Uma Isabela Nardoni sendo jogada do prédio... Agora esse maldito porco que fez o favor de espirrar no sombreiro d'um infeliz... E lá se vão semanas falando, e se mobilizando, e falando, e fazendo enquetes no nosso site, e falando, e fazendo o bingo de novos infectados (14... 30 na Europa... opa, mais um nos EUA... olha, 5 no Peru). E aí, a gente esquece. Como os próprios jornalistas parecem agir em todos os noticiários: [cara fechada, quase se sente a compaixão] enchentes no nordeste, famílias desabrigadas pela chuva, a situação é calamitosa [subitamente, um sorriso sereno e dentado] agora futebol... "brasileiro tem memória curta" e pela facilidade de se distrair, talvez deficit de atenção também.

Povo brasileiro, povo lindo tupiniquim, não temam os porcos resfriados, antes, repudiem os fartos e saudáveis suínos que povoam e gozam a bacanal livremente [e com nosso consenso] nas câmaras de nosso Congresso Nacional.

Lembrai. Cobrai. Sejais povo, não massa. Sejais livres, não enganados.

3 comentários:

Júh Gomes disse...

É esse texto chamou muito a minha atençao para as coisas que aconteceem e são maquiadas de formaa tão banal!Realmente ... Boom eu nao tenhu visto jornal coom tanta frequencia entao nao estou muito apar desses assuntos, gripe suína, escandalos politicos e tudo maais...O Texto é muito realista e muito boom !

Márcio Calixto disse...

Sensacional, perfeito, o seu caminho também é para prosa, meu rei...

Flávio Corrêa de Mello disse...

ótimo texto, gostei mesmo...
Me fez lembrar da dengue (cadê a máscara do mosquitinho...)

Comentário Rápido