sábado, 16 de janeiro de 2010

Sexta às nove (32)

Desta vez estou postando na data certa.

Trouxe essa música, pois uma vez Antônio Torres - o escritor - nos disse em uma de suas aulas para jovens escritores que era essa a música que usava como ritmo de seus parágrafos.

Achei aquilo fantástico.



Thelonious Monk - Blue Monk

A coisa seria assim:

Primeiro verso da música. Ponto.
Segundo verso da música. Ponto.
Terceiro verso. Vírgula.
Quarto verso. Ponto.
A sequência com todos os músicos, a trama se desenvolvendo.

Eu li o Cachorro e o Lobo sob esse ritmo. Casa direitinho. Principalmente o primeiro capítulo.
Perceba:

Eis-me de regresso a essa terra de filósofos e loucos. A começar pelo meu pai. Que disso tudo tem um pouco, se estou aqui é por causa dele mesmo.

Só pra dar um gostinho!

4 comentários:

Eloise Porto disse...

Vou te matar, viu.

Obrigada pela atenção.

Márcio Calixto disse...

Eita, acho que estou sendo procurado!!!

Eloise Porto disse...

Bastardo Inglórios, ahã?!

O que vc vai fazer com o uniforme? Vai guardá-lo, não é? Ah, como eu pensei.

O seu texto não entrou na semana porque não foi enviado.

Márcio Calixto disse...

Eita, mas não era de quinze em quinze dias?

Errei?

Comentário Rápido