domingo, 18 de abril de 2010

Um amor

Um amor

Aprendi a amar todas as pessoas
Amando-as
Amo a mim mesmo
Por isso amo a todas elas
Sem restrição
Irrestrito
i-rrestrito
Amo-me a mim também!

Amá-las, assim me amo.
Mas mesmo a mim, que me amo amando os outros
Amo menos
Nesse caso sou de ir-restrito

Na verdade,
Eu me alimento de sorrisos
De dentes expostos
De uns poucos minutos de sorriso
De fala que se faz fala.
Dita, vivida, compreendida.

Não sou fã das falas internéticas
De conversas afoitas em toque de teclado
Sou fã do convívio, do hálito, do copo manchando mesa
Sem grilos por estar manchando a mesa
De um jogo compartilhado
Ou de tabuleiro, ou de vídeo
Sou fã da piada de mal gosto
Risível, por seu pouca piada

Eu gosto é de rir de mim nos outros

2 comentários:

Wallace da Silva disse...

A arte de fazer rir vc faz como poucos. Louváveis sua postura e sua posição sobre felicidade. Por isso vc é tão querido por onde passa ou por quem passa por onde vc está.

Márcio Calixto disse...

Poxa, cara!

Nem sei o que dizer!

Valeu mesmo!

Comentário Rápido